R.I.P. Skype

Essa imagem que achei na internet tem um problema. Não é essa versão específica do Skype que parece estar morta, é a aplicação como um todo.

Qualquer pessoa que o use todo dia e já experimentou a versão “moderna”, sabe do que estou falando. Ela é péssima.

Fiz questão inclusive de procurar informações no fórum da Microsoft e o que encontrei foi apenas um tópico pra me divertir vendo mais pessoas a passar nervoso como eu. Caso se interesse, pode clicar aqui (não tem tanta resposta assim, mas é legal de ver).

A Microsoft vinha inclusive emitindo um aviso aos usuários da antiga versão desktop, de que ele seria descontinuado, o que me fez voltar a dar uma chance para a versão moderna, mas pelo que li por aí, ela foi obrigada a voltar atrás. E é fácil compreender porque. São problemas com recursos capados, bugs como fechamento automático, notificações que não chegam…

Por enquanto ainda estou insistindo, na dúvida entre voltar para a versão antiga ou alinhar com “todos” meus contatos o uso de um novo mensageiro. Novas opções não faltam (Whatsapp, Discord, Telegram, etc) e acredito que, caso a Microsoft tenha feito essa bagunça propositalmente para promover o Teams (nem vou prover link porque não merecem!), acredito fortemente que ela esteja cometendo mais um erro…

Posts desabafo assim não servem pra muita coisa além disso, pra pormos pra fora nossa frustração ou quem sabe acabar fazendo um click bait, mas por outro lado admito que fico realmente pensante sobre como erros homéricos como esse podem ser cometidos ainda hoje por gigantes da indústria e como isso se relaciona com os erros nossos de cada dia que trabalhamos com desenvolvimento de software, talvez possamos ao menos tirar lições, nem que seja a que oportunidades surgem onde menos se esperam…

Brasil Game Show 2017 – Eu fui!

Ontem estive mais uma vez em São Paulo para a Brasil Game Show 2017. O evento está a cada ano mais belo e organizado e valeu muito todo o esforço e custo para comparecer.

Acabei precisando ir sozinho pois, bem na hora, meu amigo Marcos Alves foi convocado para o trabalho e o ingresso não podia mais ser transferido (talvez se eu tentasse entrar em contato pelo telefone, mas sequer tinha algum convidado em vista).

Estava tudo muito cheio, mas as filas, que esse anos foram “virtuais” em alguns stands, deram um visual muito mais organizado. Faltaram também reais novidades, mas não é culpa dos organizadores. Anos com lançamentos de novos consoles sempre são mais interessantes e nem Xbox One X nem PS4 Pro (que já foi lançado), são necessariamente novos videogames.

Vi poucas celebridades também, ou pelo menos não as reconheci, já que muitos Youtubers marcaram presença, mas não os acompanho e por isso não os conheço.

Pelo menos pude tirar uma foto com o Diego Kerber da Adrenaline. que é muito gente boa por sinal.

Consegui porém, tirar muitas fotos legais, como essas abaixo:

Não podia faltar também, claro, minhas comprinhas, mas, devido a crise 🙂 só fiz investimentos de baixo valor hahahaha.

E sempre sem escolher um lado! Por que não jogar tudo que pudermos? Comprei também uma camisa preta Playstation e o jogo The Last Guardian que saiu por apenas 29 reais por ter gasto mais de 100 na loja da Sony.

Só senti falta mesmo foi de um stand da Nintendo…sempre ela aprontando dessas com os brasileiros…quem sabe ano que vem.

Caso queira curtir todas minhas fotos e vídeos, basta acessar o link abaixo:

Google Photos Album

Obrigado e até a próxima.

 

Experiência na minha carreira e currículo

Estava hoje revisando meu currículo e decidi incluir uma experiência antiga que vinha deixando de fora, que foi quando trabalhei por mais de 6 anos como servidor público municipal em Piracicaba. A princípio, eu sempre ignorava essa experiência, pelo fato da mesma não ser no ramo que estou atualmente e por uma possível falta de relevância.

Contudo, mudei de ideia ao lembrar de um projeto muito legal que participei na época. O desenvolvimento da primeira versão do Website da empresa. O fato foi inclusive citado (assim como meu nome), no site oficial da cidade, conforme vocês podem verificar abaixo:

A citação encontra-se disponível até hoje nesse link.

Recebi também uma “placa de honra ao mérito” que guardo até hoje:

Foi legal relembrar esse projeto, o quanto aprendi com ele e o quanto tudo que eu sempre fiz foi relacionado à tecnologia, mesmo quando não fazia parte das minhas atribuições. Lembro também que desenvolvi um gerenciador de documentações que agilizou muito o atendimento e foi utilizado por muitos anos (se é que ainda não utilizam).

A verdade é que todas nossas experiências nos moldam para o que somos hoje, mas optamos por omitir algumas delas pela falta de espaço disponível em um curriculum vitae ou mesmo para evitar quaisquer informações desencontradas ou falhas de entendimento, mas com certeza, recrutadores atentos acabam por entender todo esse contexto e valorizar todas as histórias que você tiver para contar.

Abraços

Ajustes tecnológicos e de direção

Minha intenção ao criar este blog era utilizá-lo como uma motivação para estudar inglês. Pretendia fazer manualmente minhas próprias traduções e posso até dizer que estava funcionando nos primeiros posts.

Porém, na medida que fui fazendo meus ajustes no Worpress, fui me deparando com algumas dificuldades e preferi redefinir essas diretrizes. Vou me render mesmo ao uso de um plugin do Google Translate. O antigo plugin que eu usava, chamado qTranslate-X me permitia escrever dois textos dentro do mesmo post e ficava bem legal, mas ao espalhar o post pelas redes sociais, o texto se tornava uma bagunça, com as duas versões juntas e tags da linguagem poluindo tudo.

Sendo assim, agora que me animei por conseguir fazer o WordPress funcionar direitinho, conectado em todas as minhas mídias e principalmente no Medium (que está crescendo rapidamente como provedor de conteúdo similar ao WordPress), pretendo escrever mais, até por não ter o “peso” de ter que me preocupar com a tradução.

Quem sabe agora eu consiga mais leitores e me engaje a escrever cada vez mais.

Abraços