Futebol e mimimi

Mais um assunto que eu não pretendia tratar no meu blog, mas como acredito que eu seja um cara extremamente ponderado e não pretendo revelar clubismo nenhum aqui (quanto mais envelheço, mais enxergo o futebol diferente do que quando jovem, como acontece com muita gente…chama-se amadurecimento).

Fonte: https://www.foxsports.com.br/news/324345-gabriel-e-denunciado-no-stjd-por-gesto-obsceno-no-majestoso-e-pode-pegar-seis-partidas-de-gancho

Li muitas matérias essa semana, de diferentes jornalistas, com opiniões contrárias e isso é lindo. Mas isso me inspirou a dizer o que penso aqui.

Gente, realmente estamos na era do “MIMIMI” e isso é inegável, mas estão pedindo a prisão do cidadão por acaso? É uma punição e pronto, para tentar ensinar educação para os jogadores e para milhões de pessoas que assistem futebol (precisamos ensinar isso de todas as formas que forem possíveis, até e principalmente pelo nosso deficit nacional histórico nisso). Nesse caso específico, cabe até mais uma boa piada: “estão favorecendo o Corinthians novamente!!!” 🙂 porque ele é até bem incompetente em sua profissão e mais um disposto a ganhar dinheiro tentando iludir torcedores carentes, que amam se sentir representados em campo (não me excluo dessa também, sou torcedor e igualmente carente, adoro quando um jogador do meu time faz um “gesto para galera”, como Rodrigo Caio finalmente “reclamando” da suposta ajuda ao Corinthians, não fazendo a mínima diferença se adianta ou não, ou mesmo, se está certo ou não, ou sequer se é verdade.

Enquanto estivermos no “campo” (com o perdão do trocadilho), das palavras, punições esportivas, gozações (que quem me conhece sabe que não gosto muito e não participo, mas respeito quem gosta do esporte por isso, minha paixão é a competitividade e o lado poético da coisa), estamos apenas mantendo o futebol vivo e em alinhamento com a era moderna da informação.

E segue o jogo.

Ok, Konami. Te devo desculpas…

O título do post pode parecer estranho e talvez seja mesmo, mas logo você vai entender. Eu não estou me desculpando por não comprar os jogos dela, por exemplo, até porque ninguém tem obrigação nenhuma de realizar compra alguma, mas sim, de anos que venho fazendo propaganda negativa com meus amigos e na internet sobre seus jogos, ou mais especificamente: Pro Evolution Soccer (PES para os íntimos).

Sou do tempo em que o PES, chamado antes Winning Eleven, International Superstar Soccer ou mesmo Goal Storm (esse tem gente que não sabe), reinava soberano nos gramados virtuais. Haviam diversos jogos de futebol de várias produtoras (bons tempos) e eu jogava simplesmente todos! (o acesso à eles era mais fácil… 😳 ). Mas, pra quem acompanha a evolução do futebol virtual nos últimos anos, o FIFA deu uma virada digna dos maiores clássicos e simplesmente ofuscou completamente o PES! (lógico que é minha opinião, mas em vendas isso se mostra como fato).

Hoje os jogos são caros e nós brasileiros de forma geral, precisamos pensar muito bem antes de realizar uma compra, para termos a menor chance possível de erro no investimento. Pois bem, sendo assim, venho jogando as demonstrações ou “demos” do PES seguidamente todos os anos e todos os anos achando uma porcaria.

Junta-se a isso o fato que o último PES que eu comprei foi o 2014 para o Xbox 360 e mesmo após testar a demo, comprar o jogo e jogar algumas partidas, veio a decepção e passei a odiar o jogo por esse investimento mal feito meu. Culpa do marketing deles também claro!

E agora vem minha real intenção com esse post, dizer para você, na medida do possível, evitar confiar cegamente em análises de outras pessoas ou veículos de imprensa e até mesmo de se basear apenas na demonstração do jogo.

A demonstração do PES em especial, principalmente para um jogador assíduo de FIFA como eu, pode ser muito enganosa. Primeiro, você pode se confundir com os botões, então, modifique-os nas opções para ficar igual ao FIFA (chutes e cruzamentos tem botões invertidos entre os dois jogos) e segundo e mais importante: aumente a dificuldade do jogo!

O mais lógico, vindo de outro jogo, é você querer ou pensar em “começar de baixo”, nas dificuldades para iniciantes, mas é aí que você perde a observação da toda a evolução que o PES sofreu nos últimos anos. Em dificuldades mais altas é outro jogo.

Eu não comprei o PES 2018 e infelizmente não pretendo comprar tão cedo. O preço dos jogos hoje e meu baixo tempo pra jogar vem me fazendo diminuir drasticamente o número de jogos que compro (tenho muito mais jogos que uma pessoa dita “normal”, mas isso é assunto pra outro post), mas encontrei uma oportunidade imperdível: um PES 2016 novinho por R$19,99 nas Americanas.

Até agora joguei algumas partidas, metade de uma Champions League e simplesmente estou fascinado com o jogo. Eu não imaginava que uma compra despretensiosa dessas (na hora disse para minha esposa: se me valer duas horas de diversão estou no lucro) fosse me gerar tanta surpresa e momentos prazerosos jogando futebol virtual que há muito não tinha.

Se tivesse que escolher, eu ainda escolheria e indicaria o FIFA. Acho ele um produto mais robusto, mas talvez eu venha a mudar minha opinião num futuro próximo, mas o mais importante que esse episódio me fez recordar é: eu não sou obrigado a gostar de apenas um dos dois!!!

Ah que saudade quando eu tinha até, sei lá, 7 jogos diferentes de futebol, cada um com sua própria coleção de qualidades e defeitos e gostava de todos. Lembro de um episódio quando fui adquirir um deles e o vendedor me disse: “É bem ruinzinho viu” e eu respondi: “Tudo bem, vou levar mesmo assim”. 🙂

Fiquem agora com um videozinho de uma partida minha.

Abraços!